• Da Redação.

// Histórias com cor: 12 livros para deixar sua estante bem colorida


Que tal deixar a sua estante organizada por cores? Selecionamos algumas obras que podem deixar seu cantinho de leitura mais harmônico.


Todo bom leitor adora ver a estante de livros arrumada. Há várias formas de organizá-la, seja por ordem alfabética, gêneros literários, tamanho ou até mesmo por cores. Até acalma o coração ver a estante toda colorida e bem arrumada, né? Para ajudar você, selecionamos alguns títulos incríveis para deixar seu cantinho de leitura mais harmônico.


Há obras para todos os gostos, desde distopias clássicas, como Laranja mecânica, de Anthony Burgess, até os contemporâneos Hibisco roxo, de Chimamanda Ngozi Adichie, e Os sete maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reis. Confira a lista completa e boa leitura!


// Amarelo


Por que fazemos o que fazemos, de Mario Sergio Cortella.


Preguiça, falta de tempo e rotina sem paixão? Se isso, infelizmente, se tornou uma realidade cotidiana, é hora de retomar os pontos de partida. A obra é repleta de ensinamentos como paciência na “turbulência e sabedoria na travessia”. Dividido em 20 capítulos, há um forte alerta aos leitores sobre a importância de ter uma vida com propósito para alcançar a realização profissional sem nunca abrir mão da vida pessoal.



O poder do hábito, de Charles Duhigg.


Durante os últimos dois anos, uma jovem transformou quase todos os aspectos de sua vida. Parou de fumar, correu uma maratona e foi promovida. Em um laboratório, neurologistas descobriram que os padrões dentro do cérebro dela – ou seja, seus hábitos – foram modificados de maneira fundamental para que todas essas mudanças ocorressem.



// Laranja


Laranja mecânica, de Anthony Burgess.


Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex – soberbamente engendrada pelo autor – empresta uma dimensão quase lírica ao texto.



Crônica do pássaro de corda, de Haruki Murakami.


Toru Okada é um jovem casado e sem filhos, que leva uma vida banal em Tóquio. Quando seu gato desaparece, ele vê seu cotidiano se transformar. A partir disso, personagens cada vez mais estranhos começam a aparecer, transformando a realidade em algo digno de sonho. Com seus fantasmas invadindo o mundo real, Toru Okada é obrigado a enfrentar os problemas que carregou consigo por toda a vida. Conjugando os elementos mais marcantes, Murakami fala sobre a efemeridade do amor, a maldade que permeia a sociedade moderna e o legado violento que o Japão trouxe de suas guerras.



// Roxo


Hibisco roxo, de Chimamanda Ngozi Adichie.


Em Hibisco Roxo, a jovem Kambili mostra como a religiosidade extremamente “branca” e católica de seu pai, Eugene, famoso industrial nigeriano, inferniza e destrói lentamente a vida de toda a família. O livro de Chimamanda Ngozi Adichie apresenta um retrato contundente da Nigéria atual, revelando os resquícios da colonização que existem tanto no próprio país, como, certamente, também no resto do continente.



É assim que acaba, de Colleen Hoover.


Um romance sobre as escolhas corretas nas situações mais difíceis. As coisas não foram sempre fáceis para Lily, mas isso nunca a impediu de conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora.



// Rosa


A redoma de vidro, de Sylvia Plath.


Talentosa e promissora, Esther Greenwood sai do subúrbio de Boston para trabalhar em uma prestigiosa revista de moda em Nova York. No momento de transição para uma vida cheia de responsabilidades e novos desafios, Esther entra em colapso devido ao desenvolvimento de um quadro depressivo. Assim como a protagonista, a autora deste livro também foi uma jovem brilhante que viu tudo ao seu redor desmoronar.



Pornô chic, de Hilda Hilst.


A leitura de Pornô Chic revela o quanto Hilst pode ser irônica, debochada e divertida sem perder o refinamento. O ciclo pornográfico de Hilst fez com que a escritora deixasse de ser considerada apenas uma autora sofisticada e lhe trouxe a fama de maldita – mas seu objetivo foi alcançado e sua obra atingiu um público maior.



// Verde


Os sete maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Red.


Com todo o esplendor que só a Hollywood do século passado pode oferecer, esta é uma narrativa inesquecível sobre os sacrifícios que fazemos por amor, o perigo dos segredos e o preço da fama. Lendária estrela de Hollywood, Evelyn Hugo sempre esteve sob os holofotes — seja estrelando uma produção vencedora do Oscar, protagonizando algum escândalo ou aparecendo com um novo marido… pela sétima vez. Agora, prestes a completar 80 anos e reclusa em seu apartamento no Upper East Side, a famigerada atriz decide contar a própria história — ou sua “verdadeira história” —, mas com uma condição: que Monique Grant, jornalista iniciante e até então desconhecida, seja a entrevistadora.



As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky


Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras – são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça.



// Azul


Deuses americanos, de Neil Gaiman.


Deuses Americanos parte da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado. Depois de voltar para a casa e descobrir que sua esposa, Laura, morreu em um acidente de carro, Shadow passa a trabalhar para o enigmático Wednesday. Nesse momento, ele embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos.



O senhor das moscas, de William Golding.


Este romance de William Golding foi vencedor do Prêmio Nobel em 1983. O livro enfoca um grupo de meninos britânicos presos em uma ilha desabitada e sua tentativa desastrosa de se autogovernar.




Por Gabriela Mattos

Estante Virtual

ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

DESTAQUES

//PausaCultural

Espaço totalmente direcionado para a troca de ideias, conteúdos e informações relacionadas a integração cultural, valorizando sempre a troca de experiências e a liberdade criatividade.

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

ARQUIVO

INSCREVA-SE

 Deixe o seu Email abaixo para ser avisado sobre as novidades do //PausaCultural. 

© 2016: Todos  os direitos reservados para //PausaCultural.                   

Desenvolvimento e Criação: Sete Comunicação e Negócios.